Mulheres são maioria entre a população de Fortaleza, mas não devem ser representadas entre pré-candidaturas a Prefeitura Foto: Roberto Jayme/TSE

Disputa pela Prefeitura de Fortaleza em 2024 pode ser a primeira sem mulher candidata em 12 anos

Os partidos podem lançar candidatura à Prefeitura de Fortaleza até o dia 5 de agosto, último do prazo para a realização das convenções partidárias. No entanto, com o tempo para a campanha eleitoral reduzido, o cenário para a disputa pelo Paço Municipal vem sendo desenhado desde 2023. Foram confirmadas, até o momento, seis pré-candidaturas ao cargo de prefeito da Capital. Nenhuma delas, no entanto, é de uma mulher.

 

Se não houver mudanças, essa será a primeira vez em 12 anos em que não há uma candidata à Prefeitura de Fortaleza — e a quarta vez que essa ausência acontece desde 1985, primeira eleição direta para Prefeitura após o golpe militar de 1964. Naquela eleição, Fortaleza se tornou a primeira capital brasileira a eleger uma mulher como prefeita — Maria Luiza Fontenele governou a cidade entre 1986 e 1989.

 

"A ausência de mulheres na disputa mostra que a conjuntura política tem desprezado a força dessas candidaturas, e evidencia uma questão estrutural bem mais profunda que as disputas internas entre os diretórios", ressalta a cientista política e professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), Mariana Dionísio. "Não se trata de uma questão circunstancial, porque as barreiras político-institucionais para aumentar o investimento em candidaturas femininas acontecem há muito mais tempo".

 

No último sábado (4), a ambientalista Cindy Carvalho (Rede) retirou a pré-candidatura à Prefeitura e deve integrar, como vice, a chapa encabeçada pelo produtor cultural Técio Nunes (Psol). Os dois partidos formam uma federação partidária, por isso só podem lançar uma pré-candidatura para concorrer ao Executivo municipal.

 

Na disputa interna realizada pelo PT, a deputada federal Luizianne Lins (PT) e a deputada estadual Larissa Gaspar (PT) colocaram o nome à disposição do partido, mas o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão (PT), acabou sendo escolhido pré-candidato em Encontro Municipal realizado no dia 15 de abril.

 

Com isso, não restou nenhuma pré-candidatura feminina para a Prefeitura de Fortaleza. Partidos menores — como UP, PCB e PSTU — ainda não lançaram nomes para a disputa pelo Executivo municipal. Contudo, as definições até aqui apontam para que apenas homens disputem o cargo — cenário semelhante ao da disputa pelo Governo do Ceará em 2022, quando não houve nenhuma candidata ao comando do Palácio da Abolição.

 

Além de Evandro Leitão e Técio Nunes, estão na disputa o atual prefeito de Fortaleza José Sarto (PDT), que tentará a reeleição, o deputado federal André Fernandes (PL), o senador Eduardo Girão (Novo) e o ex-deputado federal Capitão Wagner (União). 

 

(Fonte: Diário do Nordeste)

Outras Notícias

Dupla é presa após fingir ser senadora e vice-governadora do Ceará para aplicar golpes em políticos

Uma mulher de 30 anos e um homem, de 22, foram presos suspeitos de aplicar golpes fingindo ser a vice-governadora Jad...

Mutirão do TRE em Fortaleza encerra nesta quarta-feira

O mutirão do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) aos eleitores em Fortaleza ocorre até esta quarta-feira (8...

Cármen Lúcia é eleita presidente do TSE

A ministra Cármen Lúcia foi eleita nesa terça-feira (7) para o cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TS...

Programa para setor de eventos é prorrogado e vai à sanção

O Senado Federal aprovou nesta terça-feira (30) o projeto de lei que prorroga o Programa Emergencial de Retomada do S...